Palavrarte

Recentemente li Do Not Say We Have Nothing, de Madeleine Thien. Talvez um dos livros mais bonitos que já li, ele parece pertencer ao mundo ao mesmo tempo em que conta histórias pessoais de dor e alegria. Grande parte do livro se situa entre os anos 1956-1980, época em que a China passava por um … Continue reading Palavrarte

Sobre Callipathos

Callipathos. [noun] Informal: beautiful suffering; beautiful pain; the romanticisation of pain. Etymology: from Ancient Greek καλός (kalos), κάλλος (kallos) - ‘beautiful’ and πάθος (pathos) - ‘suffering’. Na primeira vez em que li essa palavra eu passei batido. No momento ela me parecera só mais uma palavra estranha, uma a mais entre as mil que leio a cada dia. Em um mundo onde … Continue reading Sobre Callipathos

“Butcher’s Crossing” e a Literatura Transcendentalista

A literatura Transcendentalista é marcada por nomes como Ralph Waldo Emerson e Henry David Thoreau. Esses dois autores começaram uma revolução literária e filosófica que viria a se tornar a base de quase todo o pensamento literário norte-americano. Os ideais de liberdade, humildade e principalmente a necessidade de se encontrar em meio à natureza são … Continue reading “Butcher’s Crossing” e a Literatura Transcendentalista

Som e Palavras

Recentemente uma música não tem saído da minha cabeça: Spirits, da banda The Strumbellas. Inicialmente eu gostava de como a voz do cantor me lembrava outra banda da qual sempre gostei, e a ouvia sem pensar na letra. Porém como é impossível deixar suas palavras passarem despercebidas, percebi que havia outra razão para eu gostar tanto … Continue reading Som e Palavras

Vazio

Meus amigos veneram “O Grande Gatsby”. Talvez a obra mais famosa de F. Scott Fitzgerald, o livro é contado pelo ponto de vista de Nick Caraway, um jovem que hipocritamente torce o nariz para a sociedade daqueles que são ricos em função de herança e se acha um homem de bom senso. Em meio a … Continue reading Vazio