A balança da felicidade

A balança da felicidade em que se coloca conhecimento de um lado e ignorância do outro sempre me chamou bastante a atenção. Nas diferentes fases da minha vida a tentei equilibrar de várias formas: questões religiosas, morais, artísticas e até mesmo usando da minha própria experiência. No entanto, sinto que ainda não consegui chegar a um ponto em comum.

A maioria das pessoas com quem já conversei sobre isso disseram que a felicidade só se alcança por meio do saber. O conhecimento traz à pessoa uma visão de tudo o que ela pode alcançar, destrancando portas para que possam ser abertas. No caso daqueles que vivem vidas difíceis, ele também traz possibilidades de mudança e abertura para reagir contra aquilo que nos faz mal.

Esse lado fica claro quando vemos pessoas se educando sobre assuntos específicos e usando-os para poder modificar a situação em que vivem. Não fosse o conhecimento sobre o mundo e suas diferentes sociedades não haveria a luta constante para melhorar a vida daqueles que se encontram em situações menosprezadas por pessoas que se proclamam donas do mundo. Por esse ponto de vista é impossível ver a ignorância como algo que posso afetar alguém de forma positiva.

Porém alguns casos me chamam a atenção pela posição em que estão dentro da visão cultural. Apesar de todos os passos retrógrados que o Brasil tem dado, a sociedade até que tem uma visão bem ampla de questões como liberdade e respeito. Os vários movimentos que vemos ocorrendo em diferentes estados mostram como os jovens estão cada vez trabalhando mais ativamente por um ambiente de igualdade entre todos.

No entanto, algumas situações me fazem pensar na ignorância como uma forma de evitar um sofrimento que não existe. Em seus relatos sobre as mulheres chinesas e a vidas que levam, Xinran conta sobre a vida das mulheres da Colina dos Gritos, uma pequena aldeia que se encontra tão afastada da sociedade chinesa que seus moradores não fazem ideia do que se passa no mundo. Após contar os vários absurdos que presenciou, Xinran observa:

“Quando eu deliberadamente conduzia a conversa para temas como estilos de cabelo, roupas, maquiagem ou outros assuntos do interesse feminino no mundo lá fora, as meninas geralmente não tinham ideia do que eu estava falando. Para elas, o modo como as mulheres viviam na colina dos Gritos era a única forma concebível de viver. Não ousei lhes contar sobre o mundo nem sobre a vida das mulheres fora do povoado, pois viver com o conhecimento do que jamais teriam seria muito mais trágico do que apensa viver como viviam.” – XINRAN, 2007

Essa história me deixou muito desconfortável. Ao mesmo tempo em que um lado de mim gritava para a verdade que essas garotas mereciam, o outro lembrava que elas saberem disso não mudaria nada. De acordo com as descrições de Xinran, essa aldeia era composta praticamente por homens, e o governo chinês não iria de forma alguma intervir no que ocorria ali. Então no que o conhecimento do mundo lá fora resultaria? Morte?

Ao ler a resenha de vários leitores sobre esse livro (As Boas Mulheres da China), li que a maioria julgava Xinran por não fazer nada além de contar histórias de atrocidades contra as mulheres. Incialmente eu pensava o mesmo, até que percebi que o motivo pelo qual a autora mal se colocava em qualquer posição é simplesmente por saber que suas mãos estão em grande partes atadas. O que fazer em histórias como a dessas garotas? Lhes trazer o saber transformaria a situação em que elas se encontram?

Sei que casos específicos requerem maior cuidado ao serem analisados, mas ao mesmo tempo eles lembram de como nada pode ser generalizado. Ao me deparar com situações assim a minha balança se torna incerta, balançando de um lado para o outro, vagarosamente e sem o menor sinal de conseguir se equilibrar. Será que sequer existe um lado que garanta maior felicidade que o outro?

As inconstâncias da vida me deixam perplexa.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s